Arquivo da tag: positividade

Florescer

Eu tenho flores. Elas são dotadas de sensibilidade e inconstância, mas também de beleza. Todos os dias passo pelo meu jardim sentindo o cheirinho, em especial, o das rosas. Juro, são as mais vibrantes e cheirosas daquele local. As pessoas passam pela calçada e logo sentem o perfume. É tudo tão vivo e alegre, que sempre me perguntam a receita para aquele cultivo bem sucedido. Ora, não compliquem tanto. Apenas águo todos os dias um pouquinho. O aroma agradável é apenas uma consequência, assim como toda a vida ali existente. Às vezes quando estou indo à escola consigo ver algumas borboletas batendo suas asas exuberantes sobre as rosas. Até elas vêm para apreciar. Recordo-me claramente de quando comprei os botões para plantar: murchos e pequeninos. Todos me diziam que não iriam revigorar, pois além disso, o solo não era apropriado. Troquei a terra e a adubei. Cavei um buraco de um tamanho suficiente para que as raízes conseguissem ficar aconchegadas. Então, as cobri cuidadosamente. Logo em seguida reguei, com toda a certeza de que havia feito o que podia para salvar aqueles brotos. Dia após dia aguava-os, observando o desenvolvimento. No momento em que vi as pétalas se abrindo, mal acreditei. Sobreviveram! E estavam se tornando lindas flores, pouco a pouco.

Nos dias em que cheguei em casa e pensei que não daria certo, fiquei muito chateada. Tive um trabalho particularmente atencioso, e não deixei de acreditar. A felicidade em vê-las crescendo belas e perfumadas tomou conta de mim. Sei que se as deixasse sem água, iriam secar e morrer.

Não é sobre ter o maior jardim do bairro, ou o mais cheio de flores. É sobre ter o mais perfumado e vívido que poderia cultivar.

Assim é a vida.

Dia rosado

Hoje ela estava feliz. Mas não vá pensando que já acordou assim. A garota acordou como sempre acorda todos os dias: meio tanto faz. Abriu os olhos, sua mãe a chamou pela segunda vez e já era 12:00, típicas férias… Almoçou, lavou a louça, ficou no celular por horas e horas até decidir que deveria fazer algo mais produtivo, pelo menos hoje. Abriu seu piano, e todo o sentimento de tanto faz foi indo embora ao soar de cada nota. Deixou sua mãe mais alegre, e depois foi ajudá-la a limpar a casa suja de reforma. Como se não bastasse, ligou uma música. Como sempre. O sentimento de tanto faz foi indo embora conforme o som se espalhava. Ainda passeou com o cachorro. O tão comum tanto faz foi a óbito. Nem todos os dias são assim. Ela ficou se perguntando de onde tirou toda essa vontade de ser feliz em um dia comum, e ainda por cima fazendo algumas coisas bem chatas e desgastantes. Mas na verdade, a garota viu que nada é desgastante. A gente determina o que é desgastante ou não. E se ela estivesse meio tanto faz? Com toda certeza e mais um pouco, tudo teria sido muito chato e cansativo. Tudo muda se tivermos vontade e um pouquinho de ânimo. Expulse esse sentimento de tanto faz de você. Ah, já ia me esquecendo. O estado de espírito dela estava tão bom e fabuloso, que ela estava fabulosa. Todo mundo quando está alegre torna-se fabuloso. Aliás, torne-se fabuloso. Sorria. Tudo que é ruim tem uma pitada de bom. Faça com que o bom aumente. Faça com que o bom se torne tão grande, que invada seu coração. O bom faz com que você faça o bem. Os dias são precisos, sorria. Seja fabuloso.

Você não merece

Você não merece isso. Esperar por um amigo e ganhar um meio-amigo. Um meio-amor. Uma pessoa pela metade. Sem sombra de dúvidas, você não merece isso. Não merece alguém que te faça acreditar na vida, e que cada dia será melhor que os anteriores- e logo em seguida te prova o contrário. Você não pode deixar a sua esperança aumentar e diminuir desta forma. Tem horas que a gente cansa de brincar de montanha russa com as pessoas. Obviamente toda relação tem seus altos e baixos, mas estou falando de algo bem maior que isso. A situação chega ao ponto de te fazer questionar que tipo de pessoa é essa que está ao seu lado. Que tipo de pessoa é essa que está ao seu lado? Ela te dá meio-amor, meia-atenção, meio-respeito, meia-preocupação? Honey, então não vale a pena. Definitivamente, este é o tipo de ser humano que não vale a pena. Pior mesmo é quando a gente constrói um carinho tão grande por ela, e depois tudo isso que criamos/construímos cai sobre nós, vira-se contra nós. Ou é tudo, ou é nada. Das duas uma. É tudo? Ótimo, perfeito. Mantenha essa pessoa na sua vida. É nada? Tchau. Você merece mais que isso. É como dizem por aí: Não aceite migalhas. Não é meio-amor; na verdade, se é meio não é amor. Não é meia-atenção. Quem se preocupa mesmo contigo não te dá nada pela metade. E quando estás na fossa e precisa de um ombro amigo, cadê o seu meio-alguma-coisa? Onde? Depois que sentimos que “ninguém se importa”, vem aquela sensação de solidão. Fulano de tal tá pouco se lixando pra você, sério, tá nem aí. Sua meio-alguma-coisa também não tá nem aí. Ninguém é obrigado a aceitar isso. Para de ficar correndo atrás, amiga. Descansa um pouco. Tem gente que não merece o mínimo do seu esforço. E com isso tudo, o que acontece? Você só se desgasta mais e mais. Quem parecia ser incrível, aos poucos vai sumindo. É bem difícil. De meio em meio você se esvazia. Contraditório, mas faz sentido. De tanto engolir meio-alguma-coisa, você se sente sozinho. Sem sombra de dúvidas, você não merece isso. Porém, entretanto, no entanto, nesse joguinho inútil de se dar pela metade, mal sabe fulano de tal a pessoa incrível que ele está perdendo. Você. 🙂